Estou com Fome?

Se você leu os meus dois últimos posts já deve estar começando a entender que seu olhar sobre o emagrecimento e as dificuldades envolvidas nesse processo precisam mudar de foco: parar de fazer dietas e passar a comer normalmente. E você pode estar pensando que está muito simples para ser verdade, ou que isso é impossível. Por isso eu vou continuar nesse assunto, porque eu também já tive esses pensamentos e só depois de estudar e aplicar em mim mesma e pouco a pouco nos meus pacientes pude acreditar que isso é possível sim!

Temos na Nutrição uma abordagem que está crescendo a cada dia que é a “Nutrição Comportamental”, que é inovadora e tem respaldo científico. Essa Nutrição não exclui nenhuma outra especialidade, mas sim faz todas elas fazerem sentido. Continua sendo importante tratar doenças identificando sinais e sintomas de desequilíbrio de nutrientes, sensibilidades e intolerâncias alimentares, porém o foco não está exclusivamente no alimento e na individualidade bioquímica de quem come, mas também considera o resgate dos instintos, da intuição e do prazer por comer. Afinal nós (seres humanos) comemos desde sempre, e a Nutrição é uma ciência da modernidade. Eu acho isso incrível!

Então para você começar a entender e resgatar seus instintos, intuição e prazer por comer fica aqui um exercício prático:

Sempre que sentir fome use o esquema abaixo para identificar qual é o tipo de fome que você está tendo: física (fisiológica, biológica) ou emocional; e, então começar a fazer escolhas de forma mais consciente.

nutricionista_vila_mariana_sp_estou_com_fome

Fez sentido para você? Vou ficar muito feliz em saber o que você achou e se essa sequência de posts está te ajudando de alguma forma. Meu e-mail é giseli@anutricaotem.com.br

Compartilhe esse post para que mais pessoas saibam que é possível comer sem sofrer, sem culpa e ainda assim emagrecer!

Agendamento de consultas – Fone: (11) 98533-3188 – email: giseli@anutricaotem.com.br

Consultório: R. Carlos Petit, 199 Vila Mariana

Redes sociais:

http://www.instagram.com/nutricionistagiselireis

http://www.facebook.com/nutricionistagiselireis

http://www.anutricaotem.com.br

 

Adoçante engorda!

Sempre digo que o uso de adoçante não deveria ser uma opção.

Eu já usei adoçante, colocava no café, no chá, comprava docinhos e barrinhas de cereais com adoçante na composição e achava que estava tudo bem, afinal eu sempre gostei muito de doces e quando comia adoçante ficava tranquila por aquilo não ter açúcar, ou seja, falsa ilusão de estar comendo menos calorias. Mas a medida que os anos passavam minha voracidade por doces só aumentava e um docinho fake (falso) com adoçante não era mais suficiente, tinha que comer mais e quando comia doces de verdade eu queria que fossem cada vez mais doces!!!

Bom, minha experiência comendo tranqueiras e comendo saudável rende várias histórias. Essa é uma delas e se você quiser saber como eu melhorei meu paladar e hoje não uso mais adoçante de jeito nenhum, leia esse post até o final.

O PROBLEMA:

No caso dos adoçantes, a evidência científica que mais me chama a atenção e me preocupa é a de que eles interferem no mecanismo de regulação de fome e de saciedade. Ou seja, quando você ingere algo com adoçante, o sabor é doce e seu corpo se prepara para absorver carboidrato que é fonte instantânea de energia. Como adoçantes não têm carboidratos, por consequência também não têm calorias e por isso não são fontes de energia, suas células continuarão “necessitadas” e a tendência é você ficar saciado por menos tempo e é muito comum que em algum momento você sinta mais vontade por doces, pães, massas, ou seja, qualquer tranqueira que seja rica em energia, afinal seu corpo foi “enganado”, mas não é bobo, ele quer essa energia que foi “anunciada”, mas não chegou. Daí aquela justificativa de usar adoçante para emagrecer, não cola! Quem é que emagrece enganando o próprio paladar e a saciedade e termina o dia comendo mais do que deveria?

A SOLUÇÃO:

É importante deixar de ter o hábito de “adoçar” o café, o suco, o chá ou qualquer outra bebida ou alimento, como é o caso de quem adiciona açúcar ou mel em frutas e iogurtes por exemplo.

Como fazer isso?

  1. Ter noção da quantidade de adoçante que você usa. Conheço gente que nem sabe quanto usa, porque esguicha adoçante no café. Se você faz isso, conte quantas gotas você precisa, ou passe a usar sachê(s) desse adoçante.
  2. Eu não te recomendo trocar o adoçante por açúcar, pois a intenção é melhorar o paladar, para que você fique menos “dependente” do sabor doce.
  3. Passe a reduzir pouco a pouco a quantidade desse adoçante. Isso pode ser dia, após dia, ou semana a semana (no máximo), por exemplo: hoje você usa 10 gotas em cada xícara de café e amanhã passará a colocar 9 gotas e no dia seguinte 8 gotas e assim por diante até chegar ao ponto de não adoçar nadica de nada ou chegar a uma quantidade mínima necessária (por exemplo: 2 gotinhas de adoçante em 1 xícara de café). Após esse período você perceberá que seu paladar melhorou e que você passou a sentir o sabor real das bebidas e dos alimentos.

Se você gostou desse post e conhece alguém que também precisa saber dessas dicas compartilhe e me ajude a mostrar para cada vez mais gente o quanto emagrecer e manter-se saudável é fácil sim!